JEEP Renegade 2020, Longitude 1.8 flex, automático, 6 marchas, chega aos 10.000 km.

Meu Renegade (alugado em contrato de longo prazo) chegou aos 10.000 km sem maiores problemas ou modificações da minha opinião sobre o carro, externada aqui em alguns posts onde o Renegade é a referência.

Farei neste post um apanhado, sobre aquilo que considero relevante para um potencial futuro proprietário saber, sem precisar se basear na vivência curta dos testes publicados em sites especializados.

Aos 7.400 km o Renegade foi para a revisão de um ano. Usei a facilidade do meu contrato de locação e um motorista veio pegar o carro, anotou os dois problemas de ruidos, levou para a concessionária mais próxima (em Botafogo no Rio de Janeiro) e o trouxe de volta.

Os ruídos no banco do passageiro (onde há um porta-objetos) e nos coxins superiores dos amortecedores dianteiros (situação recorrente em carros da FCA), foram ignorados. O carro continuou com eles depois da revisão.

Notei uma elevação de consumo, rodando com gasolina comum no mesmo tipo de trajeto que já publiquei post aqui como referência. Vou dedicar outro post a este tema em seguida.

No uso mais prolongado do carro, observei alguns inconvenientes. Dois são sobre a visibilidade do ponto de vista do motorista. Por estar atrás da vigia da porta dianteira, o espelho retrovisor do lado direito é frequentemente encoberto pelo passageiro, dificultando a visão do que acontece daquele lado do Jeep. Por ter o parabrisa bem mais próximo da vertical que a maioria dos carros mais modernos, o Renegade oferece um grande campo cego do lado esquerdo do carro, criado pela larga coluna A, dificultando curvas apertadas à esquerda.

Como efeito colateram positivo, as largas colunas A, B e C conferem incomum rigidez torcional à carroceria (a mesma usada desde o urbano modelo de entrada até o “casca grossa” Trail Hawk 4×4 diesel).]

As fivelas dos cintos de segurança dianteiros ficam sob o console e dificultam o encaixe e liberação, nada de muito sério, mas um problema de ergometria que a FCA deveria ter se preocupado.

O consumo de combustível é alto, mas a FCA deve melhorar esta característica na linha 2022, com a adoção de 2 motores turbo-flex, bem mais moderno que o atual FIAT derivado 1.8 aspirado.

No meu uso diário, predominantemente urbano, os ocupantes da dianteira têm convívio adequado. Os da traseira, se forem dois, viajam confortavelmente, já um terceiro, no centro, ficará um pouco desconfortável, apesar do conveniente cinto de 3 pontos e piso plano. O teto alto e a largura do Renegede oferecem um bom volume útil para a cabine, passando a sensação de espaço interno.

Os materiais são de boa qualidade, os encaixes corretos e o sistema multi-midia tem som de alta fidelidade. A direção elétrica continua precisa, e é fácil achar a posição ideal, com regulagem de altura e profundidade. Não há folgas na suspensão, apesar do péssimo calçamento das ruas do Rio.

Quanto ao contrato de locação, farei outro post tratando do tema, cujo cenário mudou bastante no Brasil desde que assinei o meu no final de 2019.

Continuo muito satisfeito com o Renegade.

Jeep Renegade Longitude 2020, avaliação dos primeiros 2.000 km.

Meu Jeep Renegade chegou aos 2.000 km. Para ter uma ideia qual o combustível mais adequado, usei etanol os primeiros 1.000 km e gasolina comum nos 1.000 seguintes. O tipo de uso foi similar nos dois períodos, restrito ao trânsito urbano do Rio de Janeiro.

Como moro no Rio, vou usar a referência de preços daqui, mas a conta pode ser ajustada para a realidade de cada usuário. No ultimo dia que abasteci, no posto que uso sempre, o etanol custava R$ 3,499 e a gasolina comum R$ 4,479.

Nos primeiros 1.000 km (média de 23,5 km/h), o Renegade Continuar lendo

Jeep Renegade 2020, 1.8 flex, automático, Longitude. Primeiras (boas) impressões ao dirigir!

Só rodei 350 km com meu Renegade, mas achei que valia a pena já comentar o que estou achando do carro. Para quem acompanha o blog, já publiquei dois posts sobre o Renegade, na versão Sport, Flex, de 2017.

renegade lat

Neste 2020 o acerto do motor está melhor, apesar do Continuar lendo

Mais um conhecido procurando um crossover 0 km…

Meu amigo A.T. me escreveu na dúvida sobre que carro comprar para a mulher (eles têm dois filhos pequenos). Ele está na dúvida entre um Honda HR-V e um Hyundai Creta.

Meu caro, escrevi dia 14Jan2018 um post para um conhecido que tinha um problema parecido, mas que usaria a isenção tributária para PCDs. Não é o seu caso, assim ajusto a resposta para o caso da sua família.

A esposa dele fez um test-drive no Jeep Compass e o achou grande. Neste caso Continuar lendo

SUV / Crossover para PCD.

Um conhecido meu vai comprar um carro com benefício tributário, pois tem um PCD na família.

Ele optou por um SUV/Crossover, priorizando o Hyundai Creta e o Nissan Kicks. Ele me perguntou qual eu escolheria. Minha resposta para ele: nenhum dos dois… mas vou começar analisando as duas opções dele:

O Nissan Kicks oferece bom Continuar lendo

Jeep Renegade, 2016/17, 1.8, Flex, automático de seis marchas, 4×2.

Test-drive.

O Jeep Renegade, o “queridinho” do mercado brasileiro, me mostrou rapidamente, neste primeiro contato, as razões pelas quais ele caiu no gosto do consumidor brasileiro.

renegade1

Antes de dirigir, sempre achei que ele fosse duro e me surpreendi antes da Continuar lendo

A escolha de um SUV 4×4 usado. Um desafio!

O leitor Augusto me mandou este desafio. Ajudá-lo a escolher à distância um SUV usado. Ele conhece o assunto e foi proprietário de um excelente Subaru Forester até recentemente, o que eleva os padrões de requisitos (todos detalhadamente alistados por ele e copiados no final deste post).

Este é um desafio e tanto! Uma escolha num espectro tão amplo é sempre difícil. Ao largo espectro se soma a incerteza do uso anterior do carro, que é um fator importante e Continuar lendo

Melhores opções na casa dos R$ 100 mil.

Meu amigo Roberto vai comprar um carro novo, zero km, na faixa dos 100 mil e me perguntou o que eu achava do Audi A1. Para que os demais leitores entendam as minhas sugestões, o Roberto já tem um Honda CRV ainda na garantia, carro que passará a ser usado pela esposa.

O Audi A1 certamente é uma opção interessante, compacto, bem acabado, com uma mecânica confiável e eficiente, tem as limitações (e vantagens) de ser um hatch pequeno, que não tem muito espaço para bagagens e passageiros, mas é muito conveniente para o uso diário, pois é curto, ágil e econômico.

A1-2016

Se o alvo for a marca Audi, creio que seria interessante olhar o A3 na Continuar lendo