Chevrolet Malibu, 1.5 turbo, automático, 6 marchas.

O que é bom sempre pode melhorar. O Malibu 2017 é bem melhor que o 2015 (aspirado) que dirigi e sobre o qual publiquei um POST aqui no BLOG.

O desenho do modelo 2017 está bem mais bonito, com linhas mais marcadas e agressivas, com traseira em fastback, mas a grande diferença está no motor, um surpreendente 4 cilindros, 1.5 turbo, que supera em muito a antiga versão. Supera em tudo, com menor consumo, melhor desempenho e respostas mais rápidas ao acelerador. Só para registrar, nos mais de 800 km que rodei com este Malibu, ele fez média superior a 13km/l (gasolina), mesmo enfrentando em muitos momentos o trânsito pesado de Houston.

20180429_155321

A curva de torque plana e começando seu patamar máximo abaixo das 2.000 rpm, garantem ao motorista grande prazer em dirigir, apesar do câmbio conservador (um seis marchas que funciona bem no modo automático, mas que é lento no modo manual, o que é um contra-senso).

O painel foi modernizado e, mesmo nesta versão mais básica, incorpora câmera de ré, computador de bordo com muitas funções, sistemas de alarme de segurança dinâmica e um interessante recado no painel, quando você tiver aberto uma das portas traseiras antes de sentar ao volante (ao sair do carro vem a mensagem: Verifique o bando traseiro!). Esta mensagem visa alertar os motoristas distraídos que esquecem crianças e pets no banco traseiro e se ausentam do carro (alguns já morreram asfixiados). Muito útil!

O espaço interno é muito bom, acomodando bem cinco adultos. O porta-malas continua com espaço de sobra para duas malas grandes e duas médias, ou seja, maior que o da maioria dos concorrentes.

O acabamento interno é bom, com materiais simples, mas de boa qualidade. Alguns focos de led iluminam convenientemente pontos do interior, como as maçanetas das portas. O sistema de som tem ótima qualidade sonora e conta com a conectividade do MyLink (marca registrada) cujo sistema de atendimento em emergências é rápido (para iniciar o atendimento) e bastante  útil (felizmente não precisei usar o serviço).

O Malibu venderia bem no Brasil, se fosse importado oficialmente pela Chevrolet (como já foi). Na versão 2018 do Malibu a Chevrolet ainda caprichou mais no down-sizing, o motor agora é um 1.4 turbo.

Trocando os pneus com segurança e racionalidade.

Meu amigo Jr. tem um Dodge Journey V6 2010. Ele quer trocar os pneus originais, por outros mais altos, para que seja aumentada a altura livre do solo e o carro não raspe o fundo nos acidentes da estrada de terra que dá acesso à casa dele.

Ele não quer trocar as rodas originais (aro 16¨), que são de aço e muito resistentes. A primeira coisa a observar é tentar encontrar um pneu com uma medida seja coerente com o projeto do carro, ou seja, não esbarre no interior das caixas de roda. Depois, buscar uma alteração que não requeira ajustes nos sistemas eletrônicos Continuar lendo

Mais um conhecido procurando um crossover 0 km…

Meu amigo A.T. me escreveu na dúvida sobre que carro comprar para a mulher (eles têm dois filhos pequenos). Ele está na dúvida entre um Honda HR-V e um Hyundai Creta.

Meu caro, escrevi dia 14Jan2018 um post para um conhecido que tinha um problema parecido, mas que usaria a isenção tributária para PCDs. Não é o seu caso, assim ajusto a resposta para o caso da sua família.

A esposa dele fez um test-drive no Jeep Compass e o achou grande. Neste caso Continuar lendo

SUV / Crossover para PCD.

Um conhecido meu vai comprar um carro com benefício tributário, pois tem um PCD na família.

Ele optou por um SUV/Crossover, priorizando o Hyundai Creta e o Nissan Kicks. Ele me perguntou qual eu escolheria. Minha resposta para ele: nenhum dos dois… mas vou começar analisando as duas opções dele:

O Nissan Kicks oferece bom Continuar lendo

Calendário do IPVA 2018 no Rio de Janeiro.

O Estado do RJ divulgou as datas de vencimentos dos IPVAs de 2018. Veja a tabela publicada:

Final

de

Placa

Vencimentos

Cota Única ou

1ª parcela

2ª parcela

3ª parcela

0

22/jan

21/fev

23/mar

1

23/jan

22/fev

26/mar

2

24/jan

23/fev

27/mar

3

25/jan

26/fev

28/mar

4

26/jan

27/fev

02/abr

5

29/jan

28/fev

03/abr

6

30/jan

01/mar

04/abr

7

31/jan

02/mar

05/abr

8

01/fev

05/mar

06/abr

9

02/fev

06/mar

09/abr

Mais detalhes podem ser verificados em: http://www.fazenda.rj.gov.br

Se o seu veículo está emplacado fora do RJ, verifique a tabela na secretaria de fazenda do seu governo estadual.

Chega aos 40.000 km o Fiat 500 Sport, 1.4, automático de 6 marchas, flex.

Já publiquei quatro avaliações neste BLOG, quando meu Fiat 500 passou pelos 2.500, 10.000, 20.000 e 30.000 km. Agora atualizo a avaliação com ele chegando aos 40.000 km.

Quilometragem inicial do teste – 0  km / km rodados – 40.000 km

Cenário de uso – Cidade (ruas e vias expressas). Estradas no Rio de Janeiro.

Este FIAT 500, fabricado no México, chega aos 40.000 km confirmando suas qualidades e defeitos (poucos), sem grandes surpresas para os usuários.

Na direção – A direção elétrica continua leve, mas pode Continuar lendo

Audi A3 2017, 1.4 turbo, flex, automático 6 marchas.

O A3 também, a exemplo de seu primo Q3 (veja o POST da semana passada), é quase uma unanimidade. Não conheço ninguém que não admire este sedã. Fabricados no Brasil, ele tem qualidades de sobra para ser o queridinho do mercado e, como o Q3, tem lá seus poucos defeitos…

O desenho é elegante e discreto, clássico e atemporal, remete aos seus antepassados, sem licenciosidades aos modernismos. Em tempos de carrocerias à moda Continuar lendo

GNV num Toyoya 2011.

O leitor Sérgio me escreveu:

“gostaria de colocar GNV numa RAV4 ano 2011 que é gasolina, tenho receio de perder muita potência com GNV, pois tive um I30 a gasolina que coloquei GNV de 5º geração mas mesmo assim perdeu muita potência e virou um outro carro, era econômico com GNV mas perdeu muito em torque e potência, agora será que foi a instalação ? Sei que carros flex, com taxa de compressão acima de 12, são os ideais para a conversão, fico com medo de converter e ganhar em economia e perder a potência de um carro de 170 cv”.

Sérgio, sua análise, dentro da sua pergunta, foi bem precisa. Os kits de conversão de quinta geração são os que Continuar lendo