Chevrolet Malibu, 1.5 turbo, automático, 6 marchas.

O que é bom sempre pode melhorar. O Malibu 2017 é bem melhor que o 2015 (aspirado) que dirigi e sobre o qual publiquei um POST aqui no BLOG.

O desenho do modelo 2017 está bem mais bonito, com linhas mais marcadas e agressivas, com traseira em fastback, mas a grande diferença está no motor, um surpreendente 4 cilindros, 1.5 turbo, que supera em muito a antiga versão. Supera em tudo, com menor consumo, melhor desempenho e respostas mais rápidas ao acelerador. Só para registrar, nos mais de 800 km que rodei com este Malibu, ele fez média superior a 13km/l (gasolina), mesmo enfrentando em muitos momentos o trânsito pesado de Houston.

20180429_155321

A curva de torque plana e começando seu patamar máximo abaixo das 2.000 rpm, garantem ao motorista grande prazer em dirigir, apesar do câmbio conservador (um seis marchas que funciona bem no modo automático, mas que é lento no modo manual, o que é um contra-senso).

O painel foi modernizado e, mesmo nesta versão mais básica, incorpora câmera de ré, computador de bordo com muitas funções, sistemas de alarme de segurança dinâmica e um interessante recado no painel, quando você tiver aberto uma das portas traseiras antes de sentar ao volante (ao sair do carro vem a mensagem: Verifique o bando traseiro!). Esta mensagem visa alertar os motoristas distraídos que esquecem crianças e pets no banco traseiro e se ausentam do carro (alguns já morreram asfixiados). Muito útil!

O espaço interno é muito bom, acomodando bem cinco adultos. O porta-malas continua com espaço de sobra para duas malas grandes e duas médias, ou seja, maior que o da maioria dos concorrentes.

O acabamento interno é bom, com materiais simples, mas de boa qualidade. Alguns focos de led iluminam convenientemente pontos do interior, como as maçanetas das portas. O sistema de som tem ótima qualidade sonora e conta com a conectividade do MyLink (marca registrada) cujo sistema de atendimento em emergências é rápido (para iniciar o atendimento) e bastante  útil (felizmente não precisei usar o serviço).

O Malibu venderia bem no Brasil, se fosse importado oficialmente pela Chevrolet (como já foi). Na versão 2018 do Malibu a Chevrolet ainda caprichou mais no down-sizing, o motor agora é um 1.4 turbo.

Câmbio automático da Zafira, aparentemente com problemas…

O leitor HC me escreveu:

“Tenho uma Zafira automática e quando eu coloco ela no N ela continua andando. Isso é normal? Ela deveria parar, não?”

Você tem razão. Num câmbio automático em perfeito estado, ao ser colocada a alavanca seletora em N (neutro), o carro deveria ficar parado. Se sua Chevrolet Zafira está no plano e continua a andar, alguma coisa está errada.

Antes de levar ao mecânico especializado (não leve a um curioso, pois ele pode arrasar seu câmbio), vá para uma rua tranquila e faça os seguintes testes: Continuar lendo

Chevrolet Malibu, 2016, 2.5 litros, 4 cilindros, 6 marchas automático.

Esta versão do Malibu não foi vendida no Brasil em grande quantidade (uma pena), mas há grande quantidade rodando nos Estados Unidos. O Malibu é grande e econômico e rivaliza com os japoneses menores e com performance inferior. Nas locadoras tem preço menor que os carros “full size”, mas supera muitos em espaço interno e volume do porta malas.

20161221_125006

Tão longo quanto um Impala, o Malibu tem ótimo espaço interno e porta malas enorme. O acabamento é simples, mas perfeito. Os bancos combinam Continuar lendo

Falta de força na Chevrolet Blazer.

O Luciano me escreveu:

“…Tenho uma blazer 2.2 (1996) e pelo que vejo tem injeção monoponto. Isso deixa o carro com pouca potência e lento….como faço para trocar de monoponto para multiponto? O que precisarei? Vale a pena? Terei um melhor desempenho e melhor torque?…”

Respondo: tecnicamente é possível, mas não vale a pena!

Explico: se você adotar o Continuar lendo