Fusca na lama. Montagem?

Alguns leitores assistiram este vídeo e perguntaram se era uma montagem.

Não assisti a filmagem, mas posso quase garantir que não é uma montagem.

Vale observar, que o Fusca do vídeo está equipado com pneus lameiros militares (os famosos candangos). O ronco do motor denota alguma alteração do motor, com possível aumento de potência. Algumas saídas de atoleiro denotam o travamento do diferencial, o que podia ser facilmente obtido com a instalação do freio de mão Selectration inventado pela Gurgel (veja post neste blog a respeito) e que podia ser instalado em qualquer Fusca (a ar).

Para quem não conhece o Fusca, seu fundo plano e com poucas saliências, facilita a passagem por atoleiros (não há pontos de ancoragem), o que, ajudado pela tração traseira, o baixo peso e a suspensão independente, já faziam do Fusca original quase um fora de estrada. Pequenas adaptações, como as citadas, podiam transformá-lo em um veículo off-road de poucas barreiras.

Um motorista “bom de braço” também fez a diferença neste vídeo. Infelizmente não conheço o autor do vídeo, nem o motorista.

 

VW Spacefox, 1.6, 2013

No Spacefox a posição de dirigir é boa e a direção hidráulica tem peso adequado e é bem direta. Mesmo com 48.000 km rodados na mão de locatários, o VW se mantém integro, com os materiais do interior sem maiores danos ou sinais de desgaste excessivo, denotando boa qualidade. O bom acabamento e a boa visibilidade em qualquer ângulo, complementam bem a sensação de espaço interno. Destaque para o ótimo porta-malas.

IMG-20150117-00583

O motor não empolga, mas leva bem esta “perua” familiar. Com 3 Continuar lendo

VW Kombi é notícia no New York Times

A última série da Kombi brasileira é notícia no New York Times. Você pode ler a matéria em inglês em:

http://www.nytimes.com/2013/11/08/opinion/cohen-the-kombi-madeleine.html?nl=todaysheadlines&emc=edit_th_20131108&_r=0

kombi 2013Foto da VW do Brasil

A VW do Brasil lançou a última série da Kombi, em versão única, muito charmosa, pintada de azul e branco, no tradicional saia-e-blusa, depois de fabricá-la em várias versões de 1957 a 2013 aqui no Brasil.

Já há alguns anos a VW adotou na Kombi um motor refrigerado a ar, de 1,4 litros em substituição ao tradicional boxer de quatro cilindros (e diversas cilindradas) que equipou a Kombi por gerações.

O “pão de forma” vai deixar saudades…já que a versão brasileira era a única ainda em fabricação.