Trocando os pneus com segurança e racionalidade.

Meu amigo Jr. tem um Dodge Journey V6 2010. Ele quer trocar os pneus originais, por outros mais altos, para que seja aumentada a altura livre do solo e o carro não raspe o fundo nos acidentes da estrada de terra que dá acesso à casa dele.

Ele não quer trocar as rodas originais (aro 16¨), que são de aço e muito resistentes. A primeira coisa a observar é tentar encontrar um pneu com uma medida seja coerente com o projeto do carro, ou seja, não esbarre no interior das caixas de roda. Depois, buscar uma alteração que não requeira ajustes nos sistemas eletrônicos Continuar lendo

Voltando a falar de pneus…novos e reformados.

No mercado, além dos pneus novos, também são encontrados pneus que foram reaproveitados, através de processos de recapagem, recauchutagem e remoldagem. Estes são modos diferentes de reformar os pneus.

Um pneu recapado é aquele que tem sua banda de rodagem substituída no processo, ou seja é colocada uma nova faixa que vai ficar em contato com o chão. Este é o processo mais Continuar lendo

Pneus com a designação M+S, mais uma bobagem rolando (sem trocadilho) na Internet…

Meu amigo Franklin e alguns outros leitores assistiram a um vídeo que está circulando na Internet. Um “especialista”, numa oficina ou loja de pneus, fala sobre o desgaste dos pneus designados com as letras M+S.

O “especialista” mostra o desgaste da banda de rodagem, nas suas faixas mais externas, de forma muito mais acentuada que as faixas centrais e alega que o fato se deve ao pneu ser designado M+S. Pura ignorância.

Os pneus designados pela sigla M+S (ou M.S, ou ainda M&S) são pneus apropriados Continuar lendo

Pneus Bridgestone inseguros….

O leitor Frank me escreveu:

“…tenho um Grand Vitara 2011/12 4×2. Dois anos atrás, numa rodovia, quase morre a família toda num acidente gravíssimo que, por Deus, ninguém se machucou, quase que nem mesmo o carro. Pensei até em trocar o carro, mas, após muita pesquisa me parece que o maior problema são os pneus originais (Bridgestone). No caso dos Yokohama, porém, há uma reclamação no “Reclame aqui” sobre ressecarem e soltarem pedaços,….. Você, por favor, relatar mais sobre sua experiência com os Yokohama, agora, depois desse maior tempo de uso?”

Frank, sua experiência foi ainda pior que a minha. Sofri bastante com os pneus Bridgestone, originais do meu Suzuki Grand Vitara 2011, e, aos 20 mil km rodados, por questão de segurança, resolvi trocá-los, mesmo sem terem atingido as marcas de desgaste ( TWI ).

Como você pode ler nos meus POSTs (neste blog e no blog antigo, http://www.carrosemduvida.blogspot.com) optei Continuar lendo