Caixa de transferência X diferencial central.

O Vitor me perguntou sobre as diferenças das trações 4×4 que adotam caixa de transferência e as que tem o diferencial central (ou intermediário).

A resposta é simples:

Os 4×4 que usam caixa de transferência rodam no asfalto em 4×2 e só ligam o 4×4 em situação de baixa aderência do solo.

Os 4×4 que adotam diferencial central podem ter permanentemente ligada a tração 4×4, pois o diferencial dividirá o torque e as diferenças de velocidade entre os eixos dianteiro e traseiro.

As caixas de transferência, por não fazerem divisão proporcional de torque, fazem com que os eixos dianteiro e traseiro rodem na mesma velocidade. No asfalto, onde a aderência dos pneus com o solo é alta, esta rigidez obriga a que os pneus tenham exatamente o mesmo diâmetro útil (o que é difícil, pois depende de desgaste, calibragem, etc). Elas foram adotadas pelo Toyota Bandeirante, pelo Jeep Willys, pelos Jeeps Cherokee Sport e Wrangler.

Os 4×4 que adotam diferencial central podem rodar em qualquer situação de terreno com o 4×4 ligado, já que diferencial central divide proporcionalmente o torque e as velocidades entre os eixos dianteiro e traseiro, permitindo que as diferenças de diâmetro dos pneus sejam compensadas. O Land Rover Defender, Ford Fusion AWD, os Suzukis Grand Vitara e o SX4 são exemplos deste tipo de tração, com três diferenciais.