Hyundai Tucson seria uma opção para a compra do SUV

Alguns leitores me perguntaram a razão pela qual não citei o Hyundai Tucson como uma das alternativas no primeiro POST do dia 5Nov2015.

Confesso que foi puro esquecimento.

Eles devem ter sido instigados pelo enorme anúncio publicado pela Hyundai hoje no jornal O GLOBO, que compara o Tucson com o Jeep Renegade.

Não mudaria em hipótese nenhuma a minha escolha pelo Renegade, mas o Tucson é de fato uma alternativa a ser considerada. Grande, confiável, bem acabado e (nos dias de hoje) com preço competitivo (só perde neste quesito para os concorrentes chineses Tiggo e X60), o Tucson tem contra ele o câmbio de quatro marchas (automático), projeto antigo e o desenho desatualizado.

O anúncio no O GLOBO é uma pérola de otimismo por parte da Hyundai, que comparou o Tucson com o Renegade apenas nos quesitos onde o Hyundai leva vantagem. Se é fato que ele leva vantagem em vários itens (volume do porta-malas, retrovisores retráteis automáticos, garantia, preço e câmbio automático, por exemplo), ele perderia em muitos outros, pois carrega o peso do projeto antigo, que já foi substituído há anos no exterior, e do menor nível de segurança, robustez estrutural e eficiência.

Aos que analisam os SUVs e crossovers, recomendo olhar o Tucson com carinho, desde que não se importe de comprar com um carro do início da década passada e que está fadado a ter a produção descontinuada a qualquer momento.