Mitos e verdades da Internet (5) – Fazer o carro pegar no tranco…

Seguindo a série de POSTS sobre os mitos da Internet, o quinto mito é:

  • “Empurrar o carro para fazê-lo pegar deve ser evitado em carros com injeção eletrônica, pois, se a bateria estiver arriada, a central eletrônica não funcionará com menos de 8 volts. Nesse caso, mesmo que o motor funcione, há ainda o risco da correia dentada não suportar o tranco e “pular alguns dentes”, quebrando a harmonia de funcionamento do motor e criando o sério risco de empenar as válvulas. Nesse caso, o prejuízo é grande, pois o motor terá que ser aberto em sua parte superior. Outro problema decorrente deste hábito é que o combustível não queimado que descer pelo coletor de escape pode danificar de forma irreversível o catalisador. Por fim, se for fazer a famosa “chupeta” (ligar uma bateria em bom estado na descarregada), tome cuidado para não inverter os polos. Isso poderia queimar a central eletrônica…”

Nossa! Que pérola! Empurrar o carro e fazê-lo pegar não estraga nada no carro, desde que essa operação não seja feita sempre.

Se a bateria estiver em curto, o sistema realmente não funcionará. Se na “chupeta” os polos forem invertidos, é possível que componentes se queimem. Os resto é FALSO ou incrivelmente exagerado!

No caso de fazer uma “chupeta” tome cuidado para que o cabo ligado no positivo da bateria não encoste em partes metálicas da carroceria e do motor, pois haverá curto-circuito (eles estão “aterrados” ao negativo da bateria).

Bateria arriada?

Durante o Carnaval a bateria do meu Gran Vitara arriou (deixei uma luz interna acesa por dias…). Para religá-lo, fiz a tradicional “chupeta”, manobrando outro carro para ficar próximo do meu (os cabos são curtos e requerem pequenas distâncias entre as bateriais). Meu amigo José Pedro, que soube do caso, me mandou o link abaixo para que eu visse o vídeo (em português).

É uma bateria de íon-lítio, bem pequena, capaz de promover Continuar lendo